quando o mundo ainda pode fazer surgir, faz surgir um sonho, por ai, até mesmo numa calçada ou numa soleira de porta.

talvez no batente de um tanque de lavar roupa.

faz-se a barba sem espelho.

faz-se a barba de olhos fechados imaginando o espelho.

bem, isso é apenas outro modo de dizer viver uma esperança.


aqui caem palavras das árvores e formam frases secas no chão.

põe fogo, não valem nada, não valem nada além de uma fogueira de chamas bonitas e rápidas.

2 comentários:

Eurico disse...

Que bela chama!
Breve fogueira das frases/folhas secas pelo chão...
Um fogo percorre-nos a alma,
consome-nos.

Crepito com elas, as frases do poema...

Abraço, irmão!

carmen silvia presotto disse...

Dauri,li tua Poesia lá no Eu-Lirico e segui a seta e vim aqui te espiar, nossa!, te abraço e parabenizo pelo espaço e por tua poesia e que sigamos cruzando versos.

Um abraço poético.

Carmen Silvia Presotto
www.vidraguas.com.br