socorre este grito de inquietude. ele vai pela praia da tarde.

na verdade não é nada. é que não riscaram nenhuma poesia na pedra sobre a qual me escorei.

quisera no respaldo da aspereza delinear um encontro, aquele em que o olhar, de súbito, define-se em surpresa, de fogo.

bem... ainda não foi hoje. será amanhã?

3 comentários:

Rafael disse...

Muito interessante e bem escrito o poema.
Abraço

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Dauri...não resisti, sou admirados das suas palavras, mas neste estilo sou fã de carteirinha, aqui aprendo...compartilho e cresço...
Poderia explicar o titulo do blog...gostei

Vivian disse...

...delícia quando podemos nos
escorar nos encantos da poesia.

pena que nem sempre isso
é possível.

mas aqui, nesta casa linda,
há tbm o aconchego das palavras
que encantam.

bjbj, lindo!