a primavera é um trabalho que arde.

a viagem das flores é longa, longa, desde o fim do universo.

a chegada surpreende, mas a flor não perdura senão um amor.

se refazem, todavia, os rizomas... ainda que haja frio ou dor

4 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Suavidade e beleza nos versos.
Gosto disso!

Beijo,
Doce de Lira

Mª Helena disse...

Gosto do novo estilo de você poetizar.
Abç

tossan disse...

Gostei demais. A chegada surpreende! Abraço

Eurico disse...

Verdadeiro aforisma... entrelaçadas, as raízes atravessam as estações. Frágil, a flor. Tão breve, mas tão bonita.

Salve, Poeta.