Luto, tristezas e uma certa paz

Reconhecer sua presença sutil agora é uma lição em que me treino. E me treino não sei como, mas me treino. Às vezes o treino consiste em olhar detalhes, pequenos eventos, recantos da casa. Quem sabe se delineará ali uma poesia sinalizadora de sua presença certa. Vagueio com olhos cansados, olhos de até um dia, e escolho, vejo, penso, invento, sinto um lugar de onde ela me diz com suavidade: eu estou aqui meu filho, estou aqui.

2 comentários:

Paula Barros disse...

Vou lendo e sentindo a suavidade das palavras, do sentir. Sentir a presença que está dentro, e que se expande nos lugares. Que está no vento, na natureza, nos cantos...porque está dentro este sentir.

abraço

EDER RIBEIRO disse...

Essa mesma sensação, Dauri, eu tenho com o meu avô que já partiu. Com o tempo essa presença será mais forte. Hoje, eu me alegro ao senti-lo tão próximo de mim que choro e muito, porém, no choro não contém dor, apenas saudades. Abçs.