Luto, tristezas e uma certa paz - 10

Fui seu filho no mundo, sou seu filho na saudade, serei seu filho depois, no dia futuro, lá onde a vida em seu poder de mistério se arranjará de outra maneira. Mas se assim não for, se a imensidão fria do universo definir que tudo começa e tudo termina aqui, ainda assim serei seu filho. Em fabulações construirei no futuro um jardim de encontros e bem lá continuarei a ser seu filho.

2 comentários:

Paula Barros disse...

Nossa! Dauri. Dá um nó na garganta ao ler, os olhos enchem de lágrimas.

Que assim seja, essa ligação filho-mãe, mãe-filho, essa ligação bonita. Que ela possa estar te abençoando de onde estiver, de um lugar bem lindo.

abraço.

EDER RIBEIRO disse...

Mesmo que a árvore perca as suas folhas, não deixará de ser árvore; mesmo que a árvore perca os seus galhos, nunca deixará de ser árvore; mesmo que arranque as suas raízes, a árvore nunca deixará de ser árvore, pois bendito é o seu fruto. A permanência da sua árvore, intrínseca, é o que dará vivacidade ao fruto, você. Apesar da dor, há um força maior que nos leva a frente e escrever é uma forma de amenizar essa dor. Abçs.