o que vibra no corpo, a vida, desenha poesias, muitas vezes com lápis de pontas rombudas.

ficam marcas nas palavras e na língua cicatrizes.

modulam-se vincos ao lado da boca como vírgulas entre sorrisos e tristezas.

o olhar se acendeu na brasa dos lábios quando se pronunciou: fiz amor com os capítulos da vida.

uns, alguns, só um, muitos foram um bom amor.

outros... outros foram amor sem or, sem am, coisas quebradas, porcelanas.

nem sei se dor, passou, tentativas, uma flor, ou outra.

2 comentários:

Juliana Rizzo disse...

Gostei do seu blog,
se quiser visite o meu: http://www.praxisreflexiva2.com/

EDER RIBEIRO disse...

teus versos, de tão sifnificante,marca, nos absorve. valeu gde Dauri. abçs.